Menu

Associados

Volume de vendas de aço pela Usiminas cai 1% no 2º trimestre

Imagem retirada de https://maisminas.org/usiminas-religamento-alto-forno/ Imagem retirada de https://maisminas.org/usiminas-religamento-alto-forno/

O volume de venda de aço pela Usiminas no segundo trimestre do ano caiu 1% na relação anual, para 977 mil toneladas. A queda trimestral, que demonstra os efeitos da greve dos caminhoneiros, foi de 10%. No primeiro semestre o volume de vendas chegou em 2,066 milhões de toneladas, aumento de 8%.

Das vendas realizadas no segundo trimestre do ano, um volume de 143 mil toneladas foi destinado às exportações. Ante o primeiro trimestre do ano, a queda das exportações foi de 16%. O principal destino das vendas externas da Usiminas foi a Argentina, com uma fatia de 34%. Depois está a Alemanha, com 25%.

Segundo o documento que acompanha o demonstrativo financeiro da Usiminas, a receita líquida da unidade de siderurgia foi de R$ 2,9 bilhões no trimestre, 2,7% a menos do que o verificado no primeiro trimestre do ano. Segundo a companhia, esse recuo se deu por conta do menor volume de vendas nesse período, mas foi parcialmente compensado por melhores preços, sendo 7,1% maiores no mercado interno e 20% superiores no externo.

Minério
As vendas de minério de ferro pela siderúrgica mineira somaram 1,386 milhão de toneladas, aumento de 120% na relação anual, lembrando que nesse período a Usiminas retomou a produção em minas antes paralisadas. Em relação aos três primeiros meses do ano, contudo, o recuo das vendas foi de 23%.

No acumulado dos seis primeiros meses de 2018, o volume de minério de ferro vendido chegou em 3,192 milhões de toneladas, aumento de 151%.

O custo caixa do minério de ferro da Usiminas aumentou no segundo trimestre do ano. Chegou em R$ 63,3 a tonelada, ante R$ 58,1 a tonelada no primeiro trimestre do ano. O aumento, segundo a Usiminas, se deu por conta da desvalorização do real, que elevou os gastos com o arrendamento da mina da MBL.

Investimentos
Os investimentos da Usiminas no segundo trimestre do ano somaram R$ 67 milhões, um aumento de 97% sobre o mesmo período de 2017. Ante os três primeiros meses do ano os desembolsos subiram 3%. No acumulado da primeira metade do ano, os investimentos somaram R$ 132 milhões, crescimento de 129%.

O investimentos no intervalo de abril a junho foram de manutenção. Do total, 86% foram destinados à unidade de siderurgia, 7% na mineração, 2% em bens de capital e 5% na transformação do aço.

Em abril último a Usiminas informou que seus investimentos deveriam somar neste ano R$ 500 milhões.

fonte: Terra

Newsletter

Cadastre-se em nosso informativo e mantenha-se atualizado.

Associados