Menu

Associados

Siderurgia e mineração devem ter 3° tri mais forte, diz Credit Suisse

Por NomadSoul1, de envatoelements Por NomadSoul1, de envatoelements

Conforme a economia mundial apresenta sinal de retomada, a recuperação do setor de materiais básicos da América Latina surpreende positivamente.

O Credit Suisse afirmou, em relatório enviado aos clientes, que à medida que a economia global se recupera do choque inicial da covid-19, a recuperação do setor de materiais básicos da América Latina surpreende positivamente e supera a maioria das expectativas anteriores do mercado.

No relatório, o Credit destacou os principais fatores para se esperar por fortes resultados no terceiro trimestre.

“Vemos o setor siderúrgico apresentando o crescimento de ganhos mais significativo em nosso universo de cobertura, alimentado por uma forte recuperação na demanda doméstica associada a várias rodadas de aumentos de preços”, diz o relatório assinado por Caio Ribeiro e Gabriel Galvão.

Da mesma forma, o banco afirma que as empresas expostas ao minério de ferro e cobre também devem se beneficiar dos preços mais altos das commodities após a forte atividade econômica na China nos últimos meses.

“Enquanto o câmbio (dólar/real) médio permaneceu praticamente estável no terceiro trimestre, os preços de celulose ligeiramente mais baixos e a sazonalidade mais fraca para a demanda de celulose devem levar a uma queda nos ganhos trimestrais das empresas de papel e celulose”, diz.

Siderurgia

Após um desempenho abaixo da média no segundo trimestre devido à pandemia, as siderúrgicas devem apresentar os melhores resultados da cobertura do banco no terceiro trimestre, uma vez que a demanda de aço e as condições de preços têm melhorado consideravelmente nos últimos meses.

“Esperamos que a CSN registre o melhor conjunto de resultados em nosso universo de cobertura impulsionado pelos altos preços do minério de ferro no trimestre, juntamente com embarques mais fortes de minério de ferro e aço, bem como preços mais altos do aço no mercado doméstico”, estima.

O banco projeta também que a Gerdau e a Usiminas apresentem um forte conjunto de resultados, ajudados pelas melhorias sequenciais nos volumes e preços do aço . Os resultados da Usiminas também devem ser impulsionados pelo forte desempenho da divisão de minério de ferro.

Mineração

Na área de mineração, o Credit destaca a Vale, já que o aumento das exportações, juntamente com os altos preços do minério de ferro e custos mais baixos, deve resultar em um Ebitda significativamente maior.

A Aura também deve apresentar resultados sólidos devido aos preços mais elevados do ouro e à medida que a produção se recupera das interrupções induzidas pela covid-19 no segundo trimestre.

Papel e Celulose

Por fim, as empresas de celulose e papel (Klabin e Suzano) devem reportar resultados mais fracos devido aos preços de celulose levemente menores no trimestre e sazonalidade da demanda mais fraca, com as férias de verão no hemisfério Norte.

“A exceção deve ser a Irani, que deve reportar Ebitda estável, na comparação trimestral, já que a forte demanda de papel cartão deve compensar os preços mais altos de papelão ondulado”, diz o banco.

O Credit acredita que a pressão sobre a celulose já parece estar bastante precificada e na opinião dos analistas, o mercado neste momento está mais focado em se os preços de celulose irão ou não se recuperar no quarto trimestre (o banco acredita que sim).

 

Fonte: Site Valor Investe

Pesquisa

Newsletter

Cadastre-se em nosso informativo e mantenha-se atualizado.

Associados