Menu

Associados

Pará dominará a mineração

Imagem retirada de https://www.otempo.com.br/capa/economia/par%C3%A1-dominar%C3%A1-a-minera%C3%A7%C3%A3o-1.1863825 Imagem retirada de https://www.otempo.com.br/capa/economia/par%C3%A1-dominar%C3%A1-a-minera%C3%A7%C3%A3o-1.1863825

Se, na siderurgia, Minas Gerais está ficando para trás, o mesmo está prestes a acontecer na mineração, outra grande força da economia que está, inclusive, no nome do Estado. A liderança no valor da produção mineral brasileira (PMB, que é a soma de todos os bens minerais produzidos no país) está ameaçada pelo Pará. Neste ano, até maio, Minas detinha 43,3% dos ganhos financeiros da atividade, enquanto o Pará participava com 40,08%. A diferença entre os dois Estados vem diminuindo nos últimos anos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram). Para especialistas no setor, é questão de tempo para que Minas perca seu histórico primeiro lugar.

No ano passado, as minas do Pará tiveram recorde de produção de minério de ferro, conforme dados da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) do Pará. Foram 169,15 milhões de toneladas, volume 14,2% maior do que em 2016. Cerca de 60% dos ganhos financeiros do setor mineral vêm da extração de minério de ferro, segundo a gerente de pesquisa e desenvolvimento do Ibram, Cinthia Rodrigues. “A vantagem de Minas Gerais é sua diversidade de bens minerais. O Estado tem também ouro e nióbio, que são bem valorizados”, diz.

O consultor de relações institucionais da Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais (Amig), Waldir Salvador, aposta que a produção de minério paraense possa superar a mineira em menos de um ano. Para ele, a data pode não ser precisa, mas o fato é certo. “O teor de ferro do minério no Pará é maior. Além disso, existe a vantagem logística. O Estado está mais próximo de um porto, no Maranhão, e é mais fácil escoar a produção”, observa.

fonte: O Tempo

Newsletter

Cadastre-se em nosso informativo e mantenha-se atualizado.

Associados