Menu

Associados

Empresa obtém licença para iniciar construção de mineradora com investimento de R$ 1 bilhão em Mato Grosso

Imagem retirada de: https://www.sonoticias.com.br/wp-content/uploads/2018/10/maquete.jpg Imagem retirada de: https://www.sonoticias.com.br/wp-content/uploads/2018/10/maquete.jpg

A empresa global de mineração Nexa Resources, que faz parte do Grupo Votorantim, responsável pelo empreendimento milionário ‘Projeto Aripuanã’ obteve a licença de instalação para iniciar a construção de uma mineradora que vai produzir concentrados de zinco, cobre e chumbo em uma área na Serra do Expedito, localizada a cerca de 25 quilômetros de Aripuanã (816 quilômetros de Sinop). A assessoria confirmou, ao Só Notícias, que a liberação garante um investimento da ordem de US$ 392 milhões de dólares, por parte empresa, na construção de uma planta industrial que vai abrigar as mais modernas práticas de gestão ambiental. A licença de instalação autoriza as obras de terraplanagem e construção civil, montagem metalomecânica, abertura da mina subterrânea, pilha de material estéril, depósito de rejeitos e adutora de captação de água. A produção média anual está prevista em 66.7 mil toneladas de zinco, 23 mil toneladas de chumbo e 3.7 mil toneladas de cobre.

São previstos na fase de construção 1,6 mil empregos e, na operação, 750 vagas. No próximo mês deve iniciar o 1º Ciclo de Desenvolvimento Profissional, em Aripuanã, a primeira de um conjunto de iniciativas da empresa para capacitar e valorizar a mão-de-obra local.

Em abril, a mineradora obteve a licença prévia do empreendimento, após aprovação do Conselho Estadual de Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso (Consema). O processo de licenciamento segue em andamento na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) para emissão da licença de instalação. A partir dessa concessão, a empresa estará autorizada a iniciar as obras do projeto. A expectativa é que a operação tenha início em 2021.

Os minérios extraídos da Serra do Expedito serão escoados por meio de transporte rodoviário até as metalurgias. O concentrado de zinco será enviado para fábricas do grupo em Três Marias e Juiz de Fora (MG). O concentrado de chumbo será exportado, enquanto o cobre poderá ser vendido no mercado nacional ou exportado.

A capacidade produtiva anual será de 1,8 milhão de toneladas de minério. Anualmente, serão produzidos cerca de 120 mil toneladas de concentrado de zinco, 50 mil toneladas de concentrado de chumbo e 18 mil toneladas de concentrado de cobre. Os minérios extraídos em Aripuanã servirão para produção de pneus, aço, fertilizantes, baterias, tintas, esmaltes, ar-condicionado, fios elétricos, celulares entre outros produtos.

 

Fonte: Só Notícias

Newsletter

Cadastre-se em nosso informativo e mantenha-se atualizado.

Associados