Menu

Associados

Composição química da taça da Copa do Mundo

Imagem retirada de https://brasilescola.uol.com.br/quimica/composicao-quimica-taca-copa-mundo.htm Imagem retirada de https://brasilescola.uol.com.br/quimica/composicao-quimica-taca-copa-mundo.htm

Quando falamos em composição química da taça da Copa do Mundo, referimo-nos a todos os elementos ou substâncias químicas presentes em um dos objetos mais desejados do mundo futebolístico.

O italiano Silvio Gazzaniga foi quem desenhou e determinou a composição química da atual taça da Copa do Mundo. A execução do projeto ficou a cargo do também italiano Milano Bertoni, no ano de 1974.

Dizemos taça atual porque ela foi construída em 1974, já que, como a seleção brasileira de futebol ganhou sua terceira Copa do Mundo em 1970, pôde levar a taça Jules Rimet (primeira taça que representava a Copa do Mundo, construída em 1930) para casa.

A taça da Copa do Mundo é composta por aproximadamente 5 kg de ouro 18 K (mistura homogênea que deve apresentar obrigatoriamente 75% de ouro), posicionados sobre uma base com 1,7 kg do mineral malaquita.

O ouro 18 quilates, além dos 75% de ouro, possui ainda uma combinação dos metais prata e cobre em sua composição, na proporção 12,5% e 12,5%, respectivamente, os quais são misturados ao ouro por meio do processo de fusão (passagem do estado sólido para o líquido) e consequente solidificação (passagem do estado líquido para o sólido). Ficou confuso? Veja como ocorrem as mudanças de estados físicos da matéria.

O ouro 18 K é utilizado em decorrência da sua elevada tenacidade, em comparação ao ouro 24 K (ouro puro), sendo, portanto, um objeto bastante resistente a choques mecânicos.

A malaquita é um minério de cobre formado principalmente por carbonato de cobre (CuCO3) e sulfeto de cobre (Cu2S) e encontrado em regiões montanhosas entre a Ásia e a Europa. É um material razoavelmente resistente e apresenta dureza em torno de 3 a 4 na escala de Mohs, ou seja, pode ser arranhado por uma moeda de cobre ou uma simples faca de cozinha.

Características visuais da taça
O troféu apresenta duas figuras humanas, que partem de sua base (de malaquita) e sustentam a representação do globo terrestre. Na base, além do termo FIFA WORLD CUP, existem ainda espaços para a gravação do nome de todos os campeões mundiais a partir de 1970.

Curiosidades sobre a taça da Copa do Mundo
- Depois de 1970, nenhuma seleção que conquistou a taça por três ou mais vezes teve o direito de levá-la definitivamente para casa. Os campeões de cada Copa recebem uma réplica idêntica à original, ou seja, sempre a cada quatro anos, uma nova taça deve ser construída.
- A taça Jules Rimet foi roubada da sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no ano de 1983 e nunca mais foi encontrada.

fonte: Brasil Escola

Newsletter

Cadastre-se em nosso informativo e mantenha-se atualizado.

Associados