Menu

Associados

Cobre recua na expectativa com dado de moradia da China

Imagem retirada de http://ig-wp-colunistas.s3.amazonaws.com/obutecodanet/wp-content/uploads/2010/11/china1.jpg Imagem retirada de http://ig-wp-colunistas.s3.amazonaws.com/obutecodanet/wp-content/uploads/2010/11/china1.jpg

Os contratos futuros de cobre operam em leve queda nesta quarta-feira, com investidores aguardando um importante dado do setor imobiliário na China.

Por volta das 6h45 (de Brasília), o contrato para três meses operava em queda de 0,54%, a US$ 5.590 por tonelada, na London Metal Exchange (LME). Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho cedia 0,29%, a US$ 2,5430 a libra-peso, às 7h26.

Após a mais recente leva de indicadores apontar para uma desaceleração da China, maior importador mundial do metal vermelho, investidores demonstram cautela antes da divulgação do índice de preços de moradia de abril no país.

O "desmonte líquido de posições longas também tem impedido o cobre de subir nas últimas semanas", afirmaram analistas do Commerzbank em nota a clientes. Por outro lado, o dólar fraco, consequência das turbulências políticas em Washington, tem impedido quedas maiores para as commodities como um todo.

Os demais metais operam majoritariamente em alta na LME. O alumínio caía 0,36%, a US$ 1.922 a tonelada; o chumbo avançava 0,48%, a US$ 2.100 a tonelada; o estanho ganhava 0,205, a US$ 19.945 a tonelada; o zinco tinha alta de 0,29%, a US$ 2.562 a tonelada; e o níquel exibia ganho de 0,82%, a US$ 9.240 a tonelada.

fonte: O Povo, com informações da Dow Jones Newswires (escrita por Marcelo Osakabe)

Newsletter

Cadastre-se em nosso informativo e mantenha-se atualizado.

Associados